Blog

Demência : Quando um sénior perde a capacidade de orientação

Demência é um termo para a incapacidade de se lembrar ou tomar decisões que interferem com as tarefas diárias.
O aumento do número de seniores significa também um maior número de diagnósticos de Demência. Principalmente Alzheimer, e consequentemente possibilidade destes perderem a sua capacidade de orientação espácio-temporal.


Apesar de estar num local familiar, alguém com Alzheimer pode não se recordar do seu nome ou morada e ficar desorientada. Portanto, quando alguém que sofre de demência se perde pode ser perigoso, no entanto, existem estratégias e soluções para o prevenir.

Porém é impossível acompanhar alguém constantemente e a ansiedade devido a este facto junto dos cuidadores torna-se avassaladora. Eventualmente,  pode surgir o medo de levar o sénior a locais públicos. Da mesma maneira que, viver longe do mesmo aumenta o stresse relacionado com esta situação.

Ainda assim, perder-se é algo comum entre as pessoas com demência e pode acontecer durante qualquer fase da doença.

 Sinais de alarme:

Em primeiro lugar deve estar atento ao todos estes fatores;

Regressar de um passeio mais tarde do que o habitual.

Querer ir para o trabalho ou para casa mesmo estando aposentado ou em casa.

Caminhar constantemente, mostrar ansiedade ou fazer movimentos repetitivos.

Dificuldade em identificar locais familiares como a casa de banho, o quarto ou outras divisões da habitação.

Perguntar por familiares ou amigos já falecidos.

Aparentar estar perdido num ambiente novo ou modificado.

Dicas para prevenir esta situação:

Providencie supervisão. Nunca tranque a pessoa em casa ou deixe a mesma sozinha no carro.

Evite locais movimentados que sejam confusos é provável que eles possam causar desorientação. Como por exemplo, centros comerciais, recintos desportivos e espetáculos ou outros locais com muitas pessoas.

Assegure-se que o sénior transporta sempre consigo uma identificação.

Manter um elemento de identificação na carteira não é suficiente. Uma vez que a pode deixar ou perder, quer inesperadamente, quer acidentalmente.  Então aconselhamos  joalharia com identificação, tais como uma bracelete ou um pendente.

Roupa de alta visibilidade. Vista o sénior com roupa que seja facilmente visível à distância. Principalmente se planeia estar num local com muitas pessoas.

Desenvolva atividades diárias. De tal forma, que preencha a rotina diária do sénior.

Anote os períodos do dia em que é provável que o sénior se perca. Planeie atividades para essas alturas.

Atividades, exercício físico e sono regular. Com toda a certeza, estes elementos podem ajudar a reduzir a ansiedade, a agitação e a inquietação.

Conforte a pessoa se esta se sentir perdida, abandonada ou desorientada. Se a pessoa quer ser levada para casa ou para o local de trabalho, não a corrija.

Assegure que este se encontra em segurança, que o está a acompanhar. Posteriormente siga com a atividade planeada .

Finamente, assegure que todas as suas necessidades básicas são satisfeitas. Bem como, deve  certificar-se se a pessoa necessita de utilizar a casa de banho,ou se está sede ou com fome. O facto de se perder pode estar relacionado com estes fatores.

Relógio com Georreferenciação

Em síntese, pode optar por um Produto Comfort Keepers, um relógio com georreferenciação e cartão SIM incorporado. Que permite uma prevenção das situações de Risco, fazendo o tracking e descobrindo a localização exata do sénior. Numa situação em que se pretende apenas uma prevenção. Sobretudo, numa fase inicial da doença, podem ocorrer momentos de desorientação. Nesse ínterim, a Comfort Keepers disponibiliza também um telemóvel com botão de alarme. Que poderá ser acionado pelo sénior solicitando ajuda ou apoio.

Definitivamente , qualquer uma destas opções, apesar de pertinentes em alturas diferentes da evolução da patologia. Poderão tranquilizar os familiares e aumentar a autonomia do sénior.

Saiba mais e contacte-nos hoje.