Categorias
Blog

Nutrição no Envelhecimento

Blog

Nutrição no Envelhecimento

A população mundial tem-se deparado com profundas alterações nas últimas décadas. O desenvolvimento social e padrões de vida, o progresso na prevenção das doenças infecciosas e as melhorias de condições de higiene e sanitárias deram origem a um aumento da esperança média de vida.

Este aumento refletiu-se na percentagem de pessoas com idades superior a 65 anos. Em 2025, espera-se que o número de indivíduos pertencentes a esta faixa etária atinja os 1,2 biliões, em todo o mundo. A Europa é a região que mais se destaca neste campo.

Em Portugal esta é uma realidade cada vez mais evidente com o passar dos anos, visto que a taxa de pessoas com idade superior a 65 anos aumentou 1% (para 17,4%) entre 2002 e 2007.

O processo de envelhecimento é um processo dinâmico e constante e uma consequência da acumulação de mudanças ao longo da nossa vida. Alguns especialistas defendem que começa no dia em que nascemos, mas é a partir dos 65 anos que se acentua mais.

Este processo leva à perda progressiva dos mecanismos de reserva do organismo em diferentes vertentes e que necessitam de ser reforçados para se conseguir ter uma vida sã e equilibrada.

A desnutrição é uma das maiores e devastadora problemática para esta faixa etária, normalmente tendo origem num desequilíbrio entre a ingestão alimentar e as necessidades individuais. A diminuição do apetite é algo muito comum e pode ser atribuída a diversos fatores:

  • Fatores Socioeconómicos (idade, sexo, institucionalização, tempo disponível, nível educacional, disponibilidade de deslocações, facilidade para a obtenção e confeção de alimentos, entre outros);
  • Fatores fisiológicos (apetite, paladar, olfato, saúde oral, prática de atividade física, entre outros);
  • Fatores patológicos (doenças agudas e crónicas, uso de fármacos, incapacidade, entre outros).

A depressão e o isolamento social levam muitas vezes à falta de vontade de comer e consequentemente a distúrbios alimentares e fraquezas.

Iremos abordar a importância da nutrição para o nosso bem estar.

Acompanhe-nos e saiba como pode melhorar o seu dia a dia com pequenos detalhes.

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Categorias
Blog

Responder ao Envelhecimento

Blog

Responder ao Envelhecimento

O envelhecimento é um processo complexo, irreversível, progressivo e natural para o ser humano, que se inicia assim que este nasce. É um processo que se carateriza por alterações morfológicas, psicológicas, funcionais e bioquímicas que influenciam a nutrição e a alimentação das pessoas com mais 65 anos.

A velocidade de progressão deste processo é influenciada por fatores genéticos, ambientais e sociais.

O exercício físico e uma alimentação equilibrada são fundamentais para uma vida saudável em todas as etapas, sobretudo em pessoas a partir dos 40 anos. Estes são os verdadeiros segredos para retardar o mais possível o processo de envelhecimento.

Com o avançar da idade o organismo deixa de conseguir produzir os mecanismos de defesa necessários, sendo essencial ter um cuidado especial para complementar os nutrientes provenientes da alimentação. Os problemas na alimentação tanto podem estar relacionados com a desnutrição como, por oposição, ao excessivo consumo de calorias.

Uma alimentação adaptada à etapa atual é meio caminho andado para evitar problemas de excesso de peso ou falta de nutrientes, como vitaminas. A perda de mobilidade, o desacelerar do metabolismo e a apetência por alimentos mais calóricos como forma de ultrapassar problemas do foro psicológico, são os principais motivos do excesso de peso em pessoas com mais 65 anos. Já a incapacidade de equilibrar a falta de nutrientes, como o cálcio e a vitamina D que se devem à perda da densidade óssea, e que acabam por causar desnutrição, resultam de pouca acessibilidade aos alimentos certos, que funcionam como substitutos naturais, alterações ao nível da capacidade mastigatória e da função do estômago e da hidratação.

Uma boa alimentação pode evitar danos prejudiciais à saúde. Acompanhe-nos nas redes sociais para saber todas as dicas para uma alimentação saudável. Saiba mais e contacte-nos hoje.

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Categorias
Blog

Problemas de visão nos Séniores: Como enfrentar

Blog

Enfrentar problemas de visão

Mudanças de visão ocorrem à medida que envelhecemos, mas estas mudanças não têm necessariamente de afetar a forma como vivemos. Saber o que esperar e quando procurar um profissional pode ajudar proteger a nossa visão.

Ao atingir os 60 anos ou mais, precisamos estar cientes dos sinais de alerta para os problemas de saúde dos olhos relacionados à idade, em especial os que podem causar perda de visão. Muitas doenças oculares não apresentam sintomas precoces. Estas podem desenvolver-se sem dor, não se notando as mudanças na visão até que a doença já esteja bastante avançada. Bons de estilos de vida, exames oftalmológicos regulares e deteção precoce de doenças podem aumentar significativamente as hipóteses de manter uma boa saúde e visão ocular à medida que se envelhece.

Podemos não nos aperceber que os problemas de saúde que afetam outras partes do corpo também podem igualmente afetar a visão. Pessoas com diabetes ou hipertensão, ou doentes crónicos que tomam medicamentos com efeitos secundários relacionados com os olhos, correm maior risco de desenvolver problemas de visão.

Exames oftalmológicos regulares são ainda mais importantes à medida que se envelhece. Recomenda exames oftalmológicos anuais para todas as pessoas com mais de 60 anos. Consulte o seu oftalmologista ou optometrista sempre que notar alguma alteração na visão.

Problemas de visão relacionados com a idade

Após os 60 anos, podem surgir várias doenças oculares que levam alterações permanentes da visão. Quanto mais cedo estes problemas forem detetados e tratados, maior a probabilidade de você conseguir manter uma boa visão.

Algumas doenças que merecem especial atenção:

A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é uma doença ocular que afeta a mácula (o centro da retina sensível à luz na parte posterior do olho) e causa perda da visão central. Embora pequena, a mácula é a parte da retina que nos permite ver detalhes e as cores. Atividades como ler, conduzir, ver TV e reconhecer rostos requerem boa visão central fornecida pela mácula. Enquanto a degeneração macular diminui a visão central, a visão periférica ou lateral permanece inalterada.

As cataratas são áreas nebulosas ou opacas na normalmente lente clara do olho. Dependendo do seu tamanho e localização, as cataratas podem interferir na visão normal. Geralmente, as cataratas desenvolvem-se em ambos os olhos, mas podem ter desenvolvimento assimétrico. As cataratas podem causar visão embaçada, diminuição da sensibilidade ao contraste, embotamento das cores e aumento da sensibilidade ao brilho.

A retinopatia diabética é uma doença que ocorre em pessoas com diabetes. É o resultado de danos progressivos aos minúsculos vasos sanguíneos que nutrem a retina. Esses vasos sanguíneos danificados vazam sangue e outros fluidos que causam inchaço do tecido retiniano e visão turva, normalmente afeta os dois olhos. Quanto mais tempo uma pessoa tem diabetes, maior o risco de desenvolver retinopatia diabética. Além disso, a instabilidade das medições de glicose de uma pessoa ao longo do tempo podem afetar o desenvolvimento e / ou a gravidade da doença. Na sua forma mais grave, a retinopatia diabética pode causar cegueira.

Olho seco é tipo de doença na qual uma pessoa produz lágrimas com pouca ou nenhuma qualidade. As lágrimas mantêm a saúde da superfície frontal do olho e proporcionam uma visão clara. O olho seco é um problema comum e muitas vezes crônico, particularmente em adultos mais velhos.

O glaucoma é um grupo de doenças oculares caracterizado por danos no nervo ótico, resultando em perda de visão. Pessoas com história familiar de glaucoma, afro-americanos e idosos têm maior risco de desenvolver a doença. O glaucoma é frequentemente indolor e pode não ter sintomas. Com o tempo, pode também afetar a visão periférica (lateral).

O descolamento de retina é uma rutura ou separação da retina do tecido subjacente. Ocorre com maior frequência espontaneamente devido a alterações no fluido vítreo, semelhante a um gel, que preenche a parte posterior do olho. Outras causas incluem trauma no olho ou na cabeça, problemas de saúde como diabetes avançada e distúrbios inflamatórios nos olhos. Se não for tratada prontamente, pode causar perda permanente da visão.

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Categorias
Blog

Diabetes

Blog

Dia Mundial dos Diabetes

  • A diabetes, uma fatura cada vez maior: 415 milhões de adultos viviam com diabetes em 2015 sendo que este numero deve aumentar até aos 642 milhões, ou um em cada 10 adultos, até 2014.
  • 1 em cada 2 adultos diabéticos não se encontra diagnosticado.
  • Muitas pessoas vivem com diabetes tipo II por um longo período de tempo sem que estejam cientes da sua condição. Um diagnóstico tardio pode significar que complicações graves já estejam a acontecer.
  • Até 70% dos casos de diabetes tipo II podem ser revertidos ou adiados adotando estilos de vida mais saudáveis, isto equivale a mais de 160 milhões de casos até 2014.
  • Com o níveis crescentes, entre as crianças, de má nutrição e de inatividade física em vários países, a diabetes tipo II na infância tem o potencial de se tornar num problema de saúde publica global, levando a graves resultados de saúde.
  • Atualmente, 12% das despesas globais de saúde são em adultos diabéticos.
  • Estima-se que a diabetes continuará a aumentar nos países mais pobres, representando uma ameaça ao seu desenvolvimento. por exemplo, em 2040, o numero de pessoas com diabetes em África deverá duplicar.

Alguns números da diabetes em 2015

Mais de 40 000 000 adultos
Mais de 40 000 000 Adultos
Mais de 5 000 000 de mortes anuais
Mais de 5 000 000 de mortes anuais
Mais de 670 000 000 milhões de dolares em custos para os sistemas de saúde
Mais de 670 000 000 milhões de dolares em custos para os sistemas de saúde

Partilhar

Categorias
Blog

Manter os seniores saudáveis

Blog

Manter os seniores saudáveis

Assegurar que os seniores recebem a nutrição certa é vital para que se mantenham ativos. Muitas doenças podem ser evitadas ou aliviadas através da uma nutrição adequada.

Dia a Dia

Os seniores que têm dificuldade em saber o que e quanto comer devem consultar o seu médico. Uma alimentação adequada não significa que a comida tem de ser insossa ou aborrecida, e os médicos podem encaminhar os seniores para nutricionistas que podem fazer sugestões sobre refeições saudáveis e nutritivas. Os seniores que necessitam de ajuda na preparação de refeições podem obter ajuda de cuidadores, no sentido de os apoiar na compra de mercearia e na atividade de cozinhar. Os cuidadores profissionais podem ainda monitorizar o quê e quanta comida o sénior se encontra a consumir para o ajudar a seguir regimes alimentares prescritos.

Outras mudanças que o sénior pode fazer podem ser tão simples como desligar a televisão e socializar e desenvolver atividades que promovam o bem-estar mental. Interagir com os seus pares e família pode ajudar a afastar a depressão e a evitar que os seniores se isolem. Numerosos estudos têm mostrado que o isolamento social aumenta o risco do declínio cognitivo nos seniores e outros problemas de saúde, relacionados com a perda de autonomia. Modificar hábitos pouco saudáveis, tais como fumar ou beber em excesso, pode ainda prevenir doenças debilitantes nos seniores e a mantê-los saudáveis e independentes.

Adotar novos hábitos pode revelar-se mais fácil com apoio de quem se encontra próximo. Manter um programa de exercício físico é mais fácil quando os seniores desenvolvem estas atividades em conjunto, e é mais fácil receber a nutrição adequada quando as refeições são partilhadas. Os seniores que vivem sozinhos e que necessitam de ajuda com algumas atividades diárias podem contratar cuidadores profissionais para os apoiar a seguir planos de exercício e nutrição, bem como disponibilizar acompanhamento ao longo do dia.

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Categorias
Blog

Envelhecer bem e manter-se saudável

Blog

Envelhecer bem e manter-se saudável

O truque para envelhecer bem não é propriamente um segredo: manter-se ativo, alimentar-se de forma saudável e evitar maus hábitos que possam facilitar o adoecimento ou que lhe retirem qualidade de vida.

Se na teoria isto parece simples, na prática estes conselhos simples são difíceis de seguir para muitas pessoas. As pessoas formam hábitos ao longo das suas vidas que podem ser difíceis de modificar quando chegam à senioridade.

Infelizmente, os efeitos destes hábitos – inatividade, dieta pobre, fumar, etc – não são muitas vezes sentidos até um momento mais tardio. Mudar estes hábitos, contudo, pode ajudar os seniores a manterem-se saudáveis e autónomos ao longo da sua vida.

Uma das mudanças mais saudáveis que os seniores podem fazer para se manterem independentes é manterem-se ativos. Ser ativo e fisicamente são pode ajudar a fortalecer o indivíduo, ajudando a manter o equilíbrio e reduzir o risco de quedas. A atividade física facilita a mobilidade e a flexibilidade, ambos fatores críticos para uma vida independente. Exercícios de força não apenas desenvolvem os músculos mas também fortalecem os ossos e reduzem o risco de fraturas.

A atividade física geral é também um excelente meio para reduzir ou atrasar o risco de doenças crónicas, regular a pressão arterial e controlar o stresse. Os seniores devem ter a precaução de falar sobre este tema com o seu médico, antes de participar em qualquer atividade física. O médico pode recomendar atividades apropriadas para a sua idade e capacidade física e evitar ferimentos ou outras complicações.

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Categorias
Blog

Responder ao Envelhecimento

Blog

Responder ao Envelhecimento

O envelhecimento é um processo complexo, irreversível, progressivo e natural para o ser humano, que se inicia assim que este nasce.

Dia a Dia

É um processo que se carateriza por alterações morfológicas, psicológicas, funcionais e bioquímicas que influenciam a nutrição e a alimentação das pessoas com mais 65 anos.

A velocidade de progressão deste processo é influenciada por fatores genéticos, ambientais e sociais.

O exercício físico e uma alimentação equilibrada são fundamentais para uma vida saudável em todas as etapas, sobretudo em pessoas a partir dos 40 anos. Estes são os verdadeiros segredos para retardar o mais possível o processo de envelhecimento.

Com o avançar da idade o organismo deixa de conseguir produzir os mecanismos de defesa necessários, sendo essencial ter um cuidado especial para complementar os nutrientes provenientes da alimentação. Os problemas na alimentação tanto podem estar relacionados com a desnutrição como, por oposição, ao excessivo consumo de calorias.

Uma alimentação adaptada à etapa atual é meio caminho andado para evitar problemas de excesso de peso ou falta de nutrientes, como vitaminas. A perda de mobilidade, o desacelerar do metabolismo e a apetência por alimentos mais calóricos como forma de ultrapassar problemas do foro psicológico, são os principais motivos do excesso de peso em pessoas com mais 65 anos. Já a incapacidade de equilibrar a falta de nutrientes, como o cálcio e a vitamina D que se devem à perda da densidade óssea, e que acabam por causar desnutrição, resultam de pouca acessibilidade aos alimentos certos, que funcionem como substitutos naturais, alterações ao nível da capacidade mastigatória e da função do estômago e da hidratação.

Uma boa alimentação pode evitar danos prejudiciais à saúde. Acompanhe-nos nas redes sociais para saber todas as dicas para uma alimentação saudável.

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin